domingo, 22 de abril de 2007

Vencendo as diferenças

AUTISMO
NÃO CHOREM POR NÓS
Por Jim Sinclair. " Autista Asperger "
Este artigo foi publicado na revista da Rede Internacional de Autismo (Autism Network Internetional), Nossa Voz, volume 1, No 3, 1993. É uma mostra do discurso de Jim , que é um autista asperger , na Conferência Internacional de Autismo em Toronto e foi dirigido principalmente aos pais .
Os pais geralmente contam que reconhecer que seu filho é autista foi a coisa mais traumática que já lhes aconteceu. As pessoas não autistas vêem o Autismo como uma grande tragédia, e os pais experimentam um contínuo desapontamento e luto em todos os estágios do ciclo de vida da família e da criança.
Mas este pesar não diz respeito diretamente ao autismo da criança. É um luto pela perda da criança normal que os pais esperavam e desejavam ter, as expectativas e atitudes dos pais e as discrepâncias entre o que os pais esperam das crianças numa idade particular e o desenvolvimento atual de seu próprio filho causam mais estress e angústia que as complexidades práticas da convivência com uma pessoa autista.
Uma certa quantidade de dor é normal, até os pais se ajustarem ao fato de que o resultado e o relacionamento que eles estavam esperando não vai se materializar. Mas esta dor pela criança normal fantasiada precisa ser separada da percepção da criança que eles realmente têm: a criança autista que precisa de adultos cuidadosos, pode obter um relacionamento muito significativo com essas pessoas que cuidam dela, se lhes for dada a oportunidade. Atentar continuamente para o Autismo da criança como a origem da dor é prejudicial tanto para os pais como para a criança e impede o desenvolvimento de uma aceitação e de um relacionamento autêntico entre eles. Em consideração a eles próprios ou à suas crianças, eu conclamo os pais a fazerem mudanças radicais nas suas opiniões sobre o que o Autismo significa.Eu convido vocês a olharem para o nosso Autista e olharem para o seu luto sob a nossa perspectiva .(extraído)

2 comentários:

Teresa Cristina disse...

Nossa Ana que interessante este texto, heim? E uma grande parte é verdade mesmo o que sentimos no começo, né? Bjs

Julieta disse...

Alexandre,nasceu dia:23/04/2010 e já detectado a síndrome de Dand walker na gravidez,através da morfológica e confirmada,após o nascimento pela tumografia,ainda está hospitalizado,pois tem dificuldade para sucção e vem sendo acompanhado por vários especialistas com vários exames e confirmado também uma paralisia facial do lado direito,gostaria de conhecer melhor sobre essa síndrome e queria conversar com mães que tem filhos com ESSA SÍNDROME.Meu email é:juliaborges123@gmail.com e o MSN:julietaborges@hotmail.com

Cesar - Filho amado

Cesar - Filho amado